A Carregar...

PROJETO QUERER E FAZER - OKAMBA

O que é?

Cuma qui bu na mansi?
É a pergunta que fazem os Guineenses sempre que encontram alguém. A Guiné-Bissau é o palco do projeto Querer e Fazer - OKAMBA, que em Kimbundo significa amigo, um projeto de intercâmbio de estudantes da UBI, através do voluntariado em África.
Inicialmente vocacionado para a área da saúde, o leque de cursos abrangidos tem vindo, gradualmente, a ser alargado, de acordo as áreas de intervenção necessárias.
Atualmente, o Projeto Querer e Fazer - OKAMBA está presente apenas na Guiné-Bissau.

Objetivos gerais

  • Incentivar estudantes e licenciados das áreas da saúde, educação e outras, a desenvolverem uma colaboração bilateral ativa com os países da CPL;
  • Estabelecer contacto com diferentes realidades socioculturais, com vista a uma formação pessoal e humanamente multifacetada dos futuros profissionais das diferentes áreas, com base na promoção do intercâmbio de culturas no seio da CPLP;
  • Garantir uma ação continuada e evolutiva das intervenções, potencializando os resultados das ações no terreno de um modo sustentável;
  • Proporcionar a estudantes e licenciados das áreas em causa o contacto e a prática com outros serviços da CPLP;
  • Apoiar a realização de atividades de investigação nas diferentes áreas do saber.
Em que ano me posso candidatar? A que cadeiras tenho equivalência?

Podes candidatar-te em qualquer ano, no entanto é preciso ter em mente que as tuas capacidades ao momento da missão vão influenciar as áreas de intervenção. Enquanto os anos científicos poderão intervir ao nível da promoção e educação para a saúde, alunos dos anos clínicos estarão mais capacitados a nível teórico-prático para intervir em contexto hospitalar.

No 5º ano, geralmente, a missão decorre no período do estágio de Pediatria, e, no 6º ano, pode decorrer em substituição do estágio de MGF III ou de Pediatria, dado que todos têm a duração de 4 semanas.

Com que áreas da medicina me vou deparar mais?

A Guiné-Bissau é um país em desenvolvimento e uma região tropical, portanto a patologia aguda tem uma maior expressão, sendo a infecciologia a área mais recorrente (doenças como a Malária, HIV, Tuberculose, subnutrição).

Que custos estão envolvidos na missão?
  1. Passaporte: 60€
  2. Visto: 60€
  3. Medicação e Vacinas: +/-180€
  4. Voos: +/- 500€
    1. A TAP é a companhia mais segura para este voo para a Guiné-Bissau, sendo que existem voos diretos, sem necessidade de escalas (duração de 4 horas).
  5. Dinheiro Vivo: +/-300€ (depende se vais querer fazer turismo pelo país)
  6. Estadia na Missão: 150€. Este montante é pago à UBI e cobre as tuas despesas de alojamento numa casa da Missão Católica em Cumura, com 3 refeições diárias incluídas durante 1 mês.
O que devo levar na mala, para mim, e para doar?

Na tua mala deves levar:

  1. Todos os documentos e duplicados
    1. Passaporte;
    2. Visto;
    3. Cartão de Cidadão;
    4. Boletim de Vacinas;
    5. Boletim Internacional de Vacinação ou de Profilaxia;
    6. Certificados do Seguro (caso faças);
    7. Receitas de todas as medicações que levem convosco;
    8. Informações dos Voos;
    9. Dinheiro vivo para fazer câmbio por Francos (os Freis da Missão fazem este câmbio a uma taxa de conversão fixa que sai mais vantajosa e justa)
  2. Máscaras N95 - importante tentar levar pelo menos 1 para cada dia;
  3. Desinfectante;
  4. Luvas;
  5. Comida
    1. Snacks fáceis de conservar e transportar (bolachas, barras de cereais, Nestum/Cerelac…);
    2. Café ou outros preparados solúveis, saquetas de chá ou, caso prefiras, pacotes de leite (lá apenas existe leite em pó);
  6. Roupa
    1. Confortável e prática tendo em conta o clima e o contexto cultural da região;
    2. Pijamas Cirurgicos - para utilizar em contexto hospitalar;
    3. Chapéu;
  7. Protetor Solar (muito importante);
  8. Power Bank;
  9. Lanterna

 

Para doação:

  1. Hospital - o ideal é tentares entrar em contacto com alguém que esteja na Missão antes da tua viagem e questionar o que poderá ser mais necessário em termos de material para o funcionamento hospitalar. Um levantamento das necessidades é a melhor forma de garantir que levas material realmente útil (máquinas de glicemia, lancetas, papel ECG, sondas vesicais, luvas, máscaras N95, desinfectante…)
  2. Escola - bolas de futebol e material escolar em bom estado como lápis, canetas, borrachas, cadernos, etc.
Como me posso capacitar antes de ir, de forma a melhor atender às necessidades da região e de forma a potenciar a minha aprendizagem durante o estágio?

Informação é poder! Por isso, aconselhamos-te a pesquisar e absorver o máximo de informação possível sobre a região a nível geográfico, cultural, sociodemográfico e epidemiológico. Como é de esperar, a epidemiologia da Guiné é muito diferente da que encontras em países desenvolvidos, como Portugal, e os recursos e acessos são, também, muito mais limitados (como os meios complementares de diagnóstico, recursos humanos e infraestruturas).

Para além disso, normalmente a Vice-Reitoria para a área Financeira, Recursos Humanos e Responsabilidade Social, em conjunto com o MedUBI, organiza uma sessão de esclarecimentos anual onde informam os estudantes dos prazos de inscrição para esse ano letivo.

Aplicações que podes descarregar para o teu telemóvel que te podem ajudar nesta aventura:

  1. Protocolos de Urgência;
  2. MSF Medical Guidelines;
  3. MDCalc
Okamba 101

Elaborámos o Okamba 101 num estilo um guia passo-a-passo, com o objetivo de esclarecer as tuas dúvidas relacionadas com as questões logísticas, que podes consultar se estiveres interessado em integrar o projeto Querer e Fazer - Okamba.

Passo 1: Perceber a tua motivação e objetivos pessoais

Passo 2: Efetuar a candidatura

A candidatura ao projeto deve ser feita no ano lectivo anterior ao ano no qual se deseja realizar o projeto, através do envio de um e-mail para [email protected], com o conhecimento do Secretariado da Vice Reitoria para a área Financeira, Recursos Humanos e Responsabilidade Social. O passo seguinte é aguardar a confirmação da tua inscrição no programa e, por conseguinte, confirmação do teu interesse em participar.

Após a candidatura necessitas de esperar por uma confirmação de disponibilidade de acolhimento por parte da Missão de Cumura. Todos os trâmites necessários (inclusive voos e visto) só podem ser iniciados quando obtiveres a confirmação de acolhimento e das respetivas datas.

Passo 3: Garantir os documentos necessários

  1. Passaporte - caso não tenhas passaporte deverás tratar da sua aquisição numa Loja do Cidadão ou Registo Civil perto de ti, com quanta antecedência te seja possível. Este documento pode ser necessário aquando da compra dos voos e sem ele não podes adquirir o teu visto.
  2. Visto - é responsabilidade da Reitoria da UBI, e tem um custo associado de 60€. O que preciso entregar?
    1. Passaporte;
    2. Fotografia (tipo passe);
    3. Formulário em anexo devidamente preenchido;
    4. Cópia do cartão de cidadão;
    5. Dados do voo

Passo 4: Tratar de questões relacionadas com as consultas de saúde do viajante, vacinação e seguros

  1. Saúde do viajante:
    1. Deve ser feita uma consulta do viajante pelo menos 2 a 3 meses antes da viagem.
    2. Podes efetuar a mesma num Centro Certificado para tal (consulta aqui os Centros de Vacinação Internacional a nivel Nacional https://www.atlasdasaude.pt/publico/content/consulta-do-viajante) ou via online (este serviço é gratuito para estudantes de medicina https://www.consultadoviajante.com/profissionais.html).
  2. Vacinas - Existem vacinas obrigatórias e opcionais:
    1. Vacina contra Febre Amarela*;
    2. Vacina contra  Febre Tifóide*;
    3. Vacina contra Hepatite A;
    4. Vacina contra Meningococo
      *Obrigatórias devendo constar no teu Certificado Internacional de Vacinação ou de Profilaxia, que te deve acompanhar durante a viagem.
  3. Profilaxia da Malária - é realizada através da toma de comprimidos, sendo que existem diferentes esquemas de toma (diários, semanais…). Algumas pessoas escolhem não fazer devido aos seus efeitos secundários (que podem tornar-se incómodos) e ao preço elevado destas medicações. No entanto, é sem dúvida aconselhável que se faça a toma.
  4. Repelentes - devem ser pelo menos 50% DEET, podem comprar em spray ou roll-on, sendo que 2-3 frascos são suficientes para toda a estadia.
  5. Seguros:
    1. A UBI providencia-te um seguro escolar base aquando da viagem, mas que não cobre todos os riscos.
    2. Se quiseres ter mais segurança na tua viagem, e inclusive um seguro contra roubo de bagagens, reembolso de voos, etc, podes informar-te melhor sobre os vários seguros de viagem junto de uma seguradora.
    3. Podes ainda recorrer ao seguro online especificamente para estudantes utilizado por muitos colegas que realizam Erasmus ou Intercâmbios https://www.aonstudentinsurance.com/students/pt/

Passo 5: Aproveitar a experiência para conhecer a Guiné-Bissau

Sempre que tenhas interesse em conhecer algum lugar, é aconselhável que converses com os freires para perceber se eles te conseguem acompanhar, visto que, normalmente, eles se encontram bastante disponíveis. Fora de Cumura é sempre aconselhável estar acompanhado por alguém Guineense, quer sejam os freires, ou outra pessoa de confiança.

Deixamos-te alguns dos sítios que consideramos interessantes visitar.

  1. Ilha de Bubaque
    1. A melhor companhia (e mais fidedigna) para realizar a viagem é a VIAMAR. As viagens têm a duração de 4horas e podem ser compradas online ou presencialmente no porto de Bissau (Bissau-Velho).
    2. Existem, ainda, barcos rápidos para a Ilha de Bubaque, no entanto é necessário regatear bastante o valor da viagem. A vantagem dos barcos rápidos é que a viagem é mais curta (cerca de 2 horas) e leva-te diretamente ao hotel onde estiveres hospedado; a desvantagem prende-se no facto do valor ser mais elevado e está dependente das condições do mar.
    3. O “Wefa Hotel” é um dos hotéis em que podem ficar. Fica no lado oposto do porto de Bubaque, na Praia de Bruce. A dona do Hotel (Mana Fatu) é muito simpática e, se entrares em contacto com ela antes, ela vai buscar o grupo ao porto de Bissau e leva-o para o Hotel.
    4. É um ótimo local para descontrair, muito sossegado, com paisagens paradisíacas. Uma experiência inigualável.
    5. A rede é escassa ou inexistente neste local.
  2. Aldeia dos Leprosos
    1. Fica em Cumura, perto do Hospital de Mal de Hansen (criado inicialmente com o intuito de tratar a Lepra Mal de Hansen). As pessoas com lepra, apesar de tratadas e pouco contagiosas, estão associadas a um grande estigma social. Esta aldeia foi então criada com a missão de apoiar as pessoas com esta doença prestando apoio social, alimentação e tratamento. A alegria das crianças desta aldeia quando recebem visitas é algo indescritível.
  3. Cacheu
    1. Antiga capital da Guiné Portuguesa e grande porto de comércio, é nesta cidade que se localiza o Museu da Escravatura, um ótimo local a visitar para entender a verdadeira realidade da escravatura vivida na Guiné-Bissau e o impacto que o Porto de Cacheu teve em todo o Mundo.
    2. Ao lado do Museu existe uma pequena praia onde podes aproveitar para dar uns mergulhos (Atenção sempre ao protetor-solar!)
  4. Quinhámel
    1. Hotel e Restaurante Mar Azul: Ir só um dia já compensa só pelas ostras e envolvência do restaurante Mar Azul. O Hotel também é de elevada excelência, ao lado do mar, com piscina e ótimo para passar um dia! Caso passem lá a noite, peçam a um taxista de confiança para vos levar e ir buscar.
  5. Bissau
    1. Mercado de Bandim, principal “centro comercial” de Bissau;
    2. Mercado Artesanal de Bissau, local ideal para comprar algumas lembranças.
      Nota: em qualquer compra o preço está inflacionado. Ir com alguém guineense de confiança ajuda a perceber qual o valor justo das coisas e a regatear de forma a chegar a um consenso com o vendedor.
    3. Restaurante Coqueiros: dos melhores restaurantes de Bissau, com uma gerência muito simpática (D. Isabel). Têm francesinha às quartas-feiras
    4. Pizzaria O Bistrô
    5. Pastelaria Império - tradicional portuguesa
    6. Para um dia na Piscina: Hotel Azalaï (mais barato) e Hotel Ledger Plaza (no cruzamento para Cumura, mais caro)
  1. Praia de Suru
    1. Seguindo a estrada principal que vai dar a Cumura, em direção a Prabis. É a praia mais próxima de Cumura.
  2. Braço de Mar
    1. Trata-se de uma “praia fluvial” próxima de Cumura.
    2. Em direção ao hospital Mal de Hansen, existem dois caminhos para lá chegar: o da esquerda, que passa ao lado da Aldeia dos Leprosos (mais longe e bonito) e o da direita, mais curto (que nos leva a uma espécie de barragem).
  3. Nhoma (em Nhacra)
    1. Uma comunidade como a de Cumura, com um Hospital Materno-Infantil. Muito interessante para conhecer outras comunidades, as dificuldades que enfrentam e como se organizam/estruturam.
    2. Conhecemos esta comunidade por intermédio da freira Paula Waga (que esteve de visita a Cumura a dar ensaios do Coro)
  4. Varela
    1. Perto da fronteira com o Senegal, mas muito longe.
  5. Cumura - Ensaios do Coro
    1. Somos acolhidos de uma forma muito afetuosa. A população sente imenso carinho pelo nosso interesse, o que acaba por nos permitir criar muitas amizades e conhecer a verdadeira realidade guineense.

 

Caso tenhas alguma dúvida relacionada com o processo de candidatura ou relativa às burocracias envolvidas, podes enviar um e-mail para [email protected] ou contactar ex-participantes, que te podem ajudar de forma muito mais pessoal.

Testemunhos

Todos os estudantes deviam ter a oportunidade de ir para um sítio, em que lidassem com uma realidade hospitalar completamente diferente, para também saberem qual é a sua capacidade de responder aos problemas que surgem.

Ana Rita Delgado ─ ─ Estudante de Medicina da FCS-UBI

É uma experiência enriquecedora sobre diferentes pontos de vista, desde já profissional, como estudantes, e creio que nos dá mais-valias para o futuro. (…) Do ponto de vista humano, ganhamos muita coisa, seja pelo que vimos, pela realidade que não nos é tão próxima no quotidiano, e acabamos por ter experiências pontuais que nos fazem pensar um pouco.

Paulo Pinheiro ─ ─ Estudante de Medicina da FCS-UBI

…tudo o que dei recebi em dobro sob a forma de ensinamentos de vida, sorrisos, olhares, aprendizagem e experiências inigualáveis. Ficarão para sempre as lembranças, a experiência de vida e a esperança de regressar às ilhas do equador um dia.

Rosa Margarida Soares ─ ─ Estudante de Medicina da FCS-UBI
Left Menu Icon